InforBANCA 110

 

 

 

EDITORIAL

 

Esta InforBanca, que o vai acompanhar no período estival, inclui sete artigos, o "Snapshot do sector bancário e empresarial em Portugal" e duas novidades: uma editorial - os Indicadores do sector Bancário - e outra organizacional – a designação, pela APB, do Dr. António Neto da Silva para CEO do IFB.

 

Fernando Faria de Oliveira, no artigo "O Mundo da Incerteza e das Transformações Disruptivas", apresenta uma nova expressão e reflete de modo integrado e profundo sobre ela. "We live in a Vuca World". Sabe o que VUCA quer dizer?

 

Miguel Pessanha. "Non-Performing Loans e o Financiamento da Economia Portuguesa" é o tema deste artigo em que ficamos a saber que embora Portugal evidencie um elevado rácio de "empréstimos não produtivos" os indícios mais recentes são positivos. O rácio está a descer, influenciado pela melhoria do ciclo económico e pelo aprofundamento das medidas específicas de redução dos NPL.

 

Catarina Cardoso, no artigo "Tratamento Fiscal das Imparidades", explica por que razão a recente alteração do tratamento fiscal das imparidades não desvirtua o propósito e a  pertinência da  iniciativa.

 

Nuno Sampayo Ribeiro, na sua linha consistente e coerente de reflexão na esfera da Economia Reputacional, escreve sobre "A Oportunidade do Dinheiro Digital", alertando para o impacto que as alterações determinadas pelo digital têm em toda a cadeia de valor no sector bancário.

 

José Bancaleiro, no artigo "Liderar pelo Exemplo", contribui para mais uma interessante reflexão sobre liderança, temática que alguns defendem não se ensinar, o que não quer dizer que não se possa aprender…

 

Nuno Lima, na segunda reflexão sobre o tema "A Banca e a Quarta Revolução Industrial", dedica a sua atenção ao papel dos recursos humanos neste novo e desafiante ambiente. 

 

Vasco Monteiro escreve sobre o tema "A Informação ao Serviço da Economia Portuguesa", começando por elaborar sobre o peso da informação na atualidade e o desafio que constitui o seu adequado processamento, para que não se perca a utilidade, nomeadamente, no processo de tomada de decisão. Termina, apresentando o exemplo e os principais outputs do Portugal Economy Probe.

 

Rita Machado e Maria Ana Barroso, no seu texto "EMW 2017: o tiro de partida para um ano pleno de iniciativas", fazem o ponto de situação das atividades e realizações concretizadas no âmbito da European Money Week e apresentam as iniciativas do grupo de trabalho da educação financeira, previstas para 2017. 

 

 

Finalmente, as nossas sugestões Lifestyle criam possibilidades enriquecedoras para programas de finais de dias de verão.

 

Boas leituras!

 

Ana Terras