inforBANCA 109

 

 

 

EDITORIAL

 
Este número, o primeiro de 2017, inclui sete artigos e o "Snapshot do sector bancário e empresarial em Portugal" que, com a colaboração da APB, passou a fazer parte do alinhamento regular desta revista.
 
Aníbal Santos, no seu preâmbulo sob o título "IFB Ajusta a Sua Oferta aos Novos Desafios" enquadra o momento atual do IFB e descreve o modo como perspetiva o futuro desta instituição.
 
Fernando Faria de Oliveira, escreve sobre o tema "A Situação Atual do Sector Bancário – Principais Causas"  identificando as razões de fundo que estão na origem da situação atual do sistema bancário, assim, contribuindo para uma narrativa mais rigorosa sobre a evolução da banca desde a crise financeira global.
 
Mário Coutinho dos Santos, no artigo "Rendibilidade e Capitalização do Sistema Bancário: o Caso Português" faz uma análise do desempenho do sistema bancário português tendo por base as dimensões rendibilidade e capitalização, suportando esta escolha de critério, na assunção habitualmente aceite, de que os bancos mais bem capitalizados tendem a ser mais rendíveis.
 
José Bancaleiro no artigo "Employee Delight Manager" defende que para uma organização ter colaboradores felizes, eficazes, inovadores e leais é determinante a capacidade de se criar consistentemente experiências que os surpreendam, excedam as suas melhores expetativas e criem uma ligação emocional forte à organização. Dito de uma outra forma, é possível reter um colaborador com base em boas condições salariais, mas para haver lealdade é preciso "deliciar"!
 
Nuno Sampayo Ribeiro, na senda consistente e coerente da sua reflexão na esfera da Economia Reputacional escreve sobre "Listas Negras e Pressão Reputacional da EU e do G20", onde a propósito do efeito da divulgação dos Panama Papers, explica de que modo o imperativo ético-profissional de estar informado reforçou, decisivamente, o impulso de refundação do sistema de cooperação internacional desencadeado em resposta à crise de 2007/8. Deixa o repto de que a era da transparência fiscal deverá ser ponderada como um desafio estratégico e não apenas como um assunto de compliance!"
 
Nuno Lima inicia com este artigo, "A Banca e a Quarta Revolução Industrial", uma reflexão sobre o impacto da dinâmica digital da sociedade e da economia no negócio bancário, em que o grande desafio é incorporar todas as incontornáveis vantagens, mitigando os riscos inerentes.
 
Rita Machado e Maria Ana Barroso no artigo "APB Reforça Aposta na Educação Financeira" fazem o ponto de situação dos trabalhos no âmbito da Educação Financeira anunciando que está para breve a apresentação das iniciativas previstas para 2017, nomeadamente, as relacionadas com a European Money Week.
 
Last but not least, espreite as nossas sugestões Lifestyle.
 
Boas leituras!
Ana Terras